Amateur

UM FILME DE HEROÍNAS E VILÕES
UM FILME DE HEROÍNAS E VILÕES
Essa era uma fantasia antiga, fazer um filme e jogar nas redes.
Aluguei um quarto de motel. Posicionei 3 câmeras. Mandei confeccionar duas roupas de super-heroínas, muito sexy. Espartilhos decotados e cintos de utilidades com acessórios eróticos. Uma máscara de mulher águia. E a outra de gatuna. Tínhamos que proteger nossas identidades secretas. Também estrelavam quatro homens fortes e desejados; os super-vilões.
Os vilões vestiam sungas de couro, braceletes, máscaras, acessórios e capas. Estavam em volta da cama tentando capturar nós duas. Estávamos de pé na cama, em posição de combate.
Dois dos vilões conseguiram me capturar, me deitaram na cadeira erótica, amarrando meus tornozelos e punhos contra as partes de metal da cadeira. Vendaram meus olhos. Fiquei de braços e pernas abertas, estirada no móvel, sem reação. Uma refém!
Os outros dois vilões surpreenderam gatuna. A deitaram de bruços na cama. Amarrada e vendada.
Tiram nossas calcinhas e começam a nos chupar revezando-se entre eles. Os quatro nos chuparam imobilizadas. Enquanto um enfiava o pau em nossas bocas o outro dava linguaradas em nossos grelhos duros. Brincavam com os dedos.
Minha buceta de tão molhada, escorria. Eu lambuzava suas caras com meu caldinho doce. De repente um dos bandidos mete a rola na minha buceta, soca gostoso. Outro mama meus peitos, enquanto um enfia o cacete na minha goela, fazendo eu sugar até as bolas. Gemi alto e tremendo as pernas, gozei sem parar. Enquanto eu me contorcia de tesão, outro, puxa meus cabelos, me chama de puta, morde meu pescoço e me surra com uns tapas na cara. Sinto uma pica deslizando meu cuzinho, me enraba forte, bem gostoso, dando continuidade aos meus orgasmos. Eu gritava, enquanto gozava, esguichava.
Tiraram-me da cadeira, molinha. Me deitaram na cama. Colocaram gatuna de quatro e a mandaram mamar minha xana molhada. Eles abriram sua bunda e a chuparam até que a sentiram tremer. Estapearam-na até ficar bem vermelhinha, toda marcadinha.
Um dos vilões me tirou da boca dela. Preparando-nos para demais novidades. Puxou meus braços e me colocou sentada em sua boca, num 69 eu chupava sua pistola e dedilhava seu cu. Eu me esfregava em sua cara, tentando sufocá-lo com meu melzinho. Sua piroca latejava e babava entre meus lábios. Ele gozou na minha boca, fazendo-me engolir sua porra grossa.
O homem maior se sentou sobre a cama, encaixou-se no cuzinho apertado da outra mulher foi metendo devagar. A segurava por um dos braço, o outro apertava seu pescoço numa enforcadeira. Trazia seu corpo pra trás, arreganhando suas pernas. Ela gemia estridente. Outro vilão inclinou-se sobre ela, cravou as mãos em sua cintura e ajeitou o cacete na xota exposta. Atrelados foram fodendo num movimento gostoso. Ela se dedilhava, enquanto rebolava em suas rolas. Acertaram o ritmo e gozaram juntos numa extravagante e excitante DP. O homem por cima deu-lhe um banho de porra. Esguichou seu leitinho pelos peitos e barriga.
Os quatro, recuperando o fôlego se deitaram na cama. Nós duas aproveitamos o momento. Distribuímos mordiscadas, arranhões e tapas espalmados. Sentados sobre seus caralhos, os algemamos uns aos outros. Firmando-os pelos cabelos e com as coxas entre seus pescoços roçamos as bucetinhas ensopadas em seus rostos, prendemos suas respirações com a xota atolada entre a boca e o nariz. Rebolamos e mexemos sem parar. Fizemos lamber e sugar nossos grelinhos. Saímos da cara de um e pulávamos na cara de outro, era libertado o vilão que conseguia nos fazer escorrer de tanto gozar em suas bocas.
Os colocamos de pé algemados ao pole dance, chupamos suas picas até esporrarem em nossas bocas sedentas.