Amateur

Glory Hole
Olá bom dia!
Bom dia!
Posso falar com a Alice?
Sim a própria
Fala da loja “Encanto da sereia”, é para dizer que a sua encomenda já chegou, pode passar cá às 7h da tarde hoje?
Sim posso!
Então ficamos a aguardar por si a essa hora!
Obrigado!

Depois do emprego caminho apressada em direcção à “Encanto da sereia” uma loja de lingerie muito especial. Foram dias a pesquisar e telefonemas para conseguir poder fazer esta encomenda!

Chego uns minutos antes, mas como estou nervosa aproveito para fumar um cigarro!

Atraso o passo, olho em redor antes de tocar à campaínha, são 6h59 no meu relógio e tudo está como combinado naquele final de tarde cinzento, apesar disso levei sempre os óculos de sol postos.

Uma senhora de lábios muito vermelhos e pele branca abre-me a porta, e pergunta Alice?

Sim sou eu! respondo baixo.

Entre, entre aguardamos por si!

Sente-se!
Quer um café, uma agua? Eu guardo o seu casaco!

Dou-lho para a mão, bem como a echarpe que me sofucava, enquanto digo que agradeço ambos!

Aguarde-me, por favor!

Era uma mulher muito elegante, e aquele vestido negro e os tacões altos acentuavam a elagancia!

nem dois minutos tinham passado e chegou com o café!

Bebío de um sorvo! ao copo de agua dei um gole e pousei-o, estava nervosa!

pode-me acompanhar?

sim claro, disse eu!

Seguia com inteira confiança, abriu uma porta e descemos umas escadas que davam para um espaço quente mas confortável, umas luzes nuns abatjours davam-lhe um ar de penumbra, via umas paredes cobertas de um papel vermelho com umas cornocópias douradas! A minha cicerone disse-me para me por à vontade, os sofas em veludo vermelho era convidativos, sentia um arrepio estava ali sozinha, na verdade não eu sabia!

A minha acompanhante disse-me onde devia colocar trocar de roupa, onde poderia tomar banho e encontrar tudo o que desejasse, onde estava tudo que eu precisaria.

Tem alguma dúvida?
Não respondi-lhe de forma segura!

ela saiu e eu fiquei ali a olhar para as paredes candeeiros, móveis, tudo era estranho mas estranhamente confortável!

dirigi-me ao vestiário e retirei a roupa que trazia vestida, fiquei apenas com a tanga creme que trazia vestida!

vesti um roupão vermelho de ceda e dirigi-me novamente para a sala. continuava tudo apagando, mas desta vez havia alguns pontos de luz que saiam das paredes.

Aproximei-me para ver!

No primeiro que ficava à minha altura não consegui ver nada apenas a luz e o que parecia uma sala.

No outro buraco vi um jovem de costas, não consegui ver a cara, apenas que não tinha nenhum tipo de pelos, parecia macio e musculado, aliás parecia de seda.

Resolvi encaminhar-me para outro buraco, onde vi uma jovem de seios pequenos e de pele morena que estava abraçada a uma mulher branca, forte,com seios grandes e aureolas rosadas. ambas estavam abraçadas em cima de um sofá e a morena agarrada às mamas da banca passava a língua nos mamilos.

Continuei a espreitar os restantes buracos, desta vejo dois rapazes um muito musculado e outro peludo e mais forte, acariciavam os pénis um do outro, enquanto se beijavam, deti-me um pouco mais para conseguir ver os seus pénis, o peludo tinha um pénis muito pequeno, e não estava muito duro, o outro tinha um pénis grande uns testiculos grandes tudo bem depilado e aparentemente macio.

Segui para mais um buraco, aqui um casal ela branca com umas mamas grandes e um pouco descaidas chupava o penis de um negro bem constituido, deitado num sofá a miuda de cabelos ruivos lambia os testiculos enquanto segurava o pénis erecto.
Ele com as mãos sobre os cabelos empurrava a cabeça contra si.

Resolvi tirar a tanga, sentia-me aprisionada.

Continuei à procura de mais um buraco, e encontrei um casal onde ela envergando um strap-on obrigava un homem com uma carapuça a lamber o falso penis. ela com um pingalim na mão ia dando pancadas nas nadegas do homem submisso.

Voltei ao primeiro buraco, e vejo uma cama redonda branca mas não vejo ninguém.

Volto aos buracos seguintes o jovem que tinha visto pela primeira vez estava a fazer exercicio, flexões abdominais, alteres, aproveito para ir espreitando os restantes buracos, mas sinto cada vez mais calor, abro o roupão.

No quarto das lésbicas a branca agora lambe a cona da negra, que tem um clitoris enorme, parece um pequeno pénis, mesmo os pequenos lábios são enormes. Por outro lado o rabo da branca é grande e macio, parecem duas enormes bolas de gelado de baunilha. A negra de pernas abertas, segura-as acima das cochas.

No quarto gay o peludo está a chupar o penis do depilado, enquanto se acaricia. entretanto trocam de posição, e agora o pénis do peludo é totalmente engolido pelo depilado. este puxa sugando o pénis enquanto belisca os mamilos do peludo. finalmente o pénis do peludo aparenta alguma tesão.

A miúda ruiva está com as mãos na parece e pernas esticadas enquanto o negro a penetra, vai alternando entre o cu e a cona, os gemidos de prazer afectam-me a libido e fico muito excitada.

Mudo para o buraco da outra sala a dominadora e do submisso, ele lambe-lhe os mamilos.

Ela com uma na trela que o prende a uma coleira que ele tem ao pescoço e empurra-o para um sofá de couro preto. Obriga-o a ficar de quatro e enquanto coloca um lubrificante no strap-on. Baixa-se um pouco e começa a penetra-lo.

Ele geme de prazer às palavras de incentivo que ela vai dizendo enquanto dá estocadas no rabo dele.

O quarto vazio continua vazio, estranhamente falta alguém!

sinto-me molhada, e muito excitada, enquanto espreito o buraco da sala onde o jovem culturista faz exercicio vou passando a mão pela minha cona e pelas minhas mamas. Os mamilos e o grelo estão duros.
O jovem para os abdominais e senta-se num sofá branco começando a acariciar o pénis, este rapidamente fica duro, pois a ajuda de uma revista hard-core ajuda a estimular-lo.

fico por momentos a apreciar este espectáculo enquanto vou passando uma mão pela cona e outra pelas mamas.

Mudo de buraco e desta vez salto para o quarto dos gays. O peludo está a ser comido no cu pelo depilado, enquanto se masturba com grande violencia, tenho uma enorme vontade de chupar aquele pénis assim como já tinha vontade de chupar, o do culturista.

Gemem ambos e aparentemente ambos estão perto do orgasmo.

Vou ao quanto do casal hetero, que está agora também em grande azafama, ela agarrada aos ombros dele encostada à parede abraça-o também com as pernas, ela morde-lhe as orelhas e ele esforçadamente mantem-na ao cola.

Continuo a saltar de buraco em buraco, mas algo me chama a atenção, passa-se algo estranho num dos buracos. ao aproximar-me vejo algo saliente embora escuro tem algum brilho. é um pénis é o penis do culturista? aproximo-me e toco-lhe com a mão, depois baixo-me um pouco mais e começo a chupar-lo, como gostaria de agarrar aquele corpo!

escuto os gemidos e os movimentos dos outros casais, de repente o pénis desaparece, fico perdida, desconsolada como uma criança a quem tiram um rebuçado, levanto-me e abre-se uma porta, do quarto vazio.

o jovem culturista chama-me. eu sigo-o de mão dada para a cama!
O jovem tira-me o roupão e deita-me na cama, beija-me no pescoço, depois no peito , na barriga e fica-se pelo grelo que começa a brincar com a lingua.
levanta-me as pernas e introduz a lingua na profundeza da minha cona. levanta-me um pouco mais as pernas e leva a lingua até ao buraco do cuzinho, mete lá dentro a lingua que me dá arrepios, abre-se uma porta e o casal de lesbicas entra no quarto deitando-se a meu lado, também o casal gay e o hetero entram bem como o casal de bondage. A enorme cama dá para todos os casais vão trocando de pares e eu vou rolando de mão em mão de penis em pénis de lingua em lingua, de cona em cona.

Tenho vários orgasmos, chupo vários pénis, lambo conas e chupo mamilos, sou penetrada por linguas, penis, strap-on, dedos. Levo palmadas e chicotadas no rabo e no grelo.

Levo com semem de vários homens no meu corpo e sou lambida por homens e por mulheres, sou o centro das atenções, sou o centro do prazer! Dou prazer a quem nunca pensei, e recebo prazeres que nunca achei possíveis ter.