Ass

As duas amigas de Portimão
Numa altura em que me encontrava por Portimão, numa daquelas noites longas de Verão, numa Sexta Feira, fui convidado por uma amiga para dar uma volta pela zona da Praia da Rocha.
Cansado de uma semana de trabalho, mas não pude resistir ao convite, tanto mais que se tratava de uma amiga, digamos, mais ou menos recente, mas que era um verdadeiro espetáculo em simpatia e detentora de um corpo daqueles em que tudo parece estar no local certo.
Aceitei e lá fomos. Naquela zona e naquela altura o calor era bastante convidativo a dar uma volta a pé e assim fizemos, enquanto a noite ia caindo. Passamos a zona dos bares, descemos a praia e caminhamos um pouco pelo acesso ao farol e encetamos uma pequena caminhada pelo areal, conversando sobre coisas triviais, e aproveitando a beleza que a natureza nos proporciona.
Foi cerca de uma hora, o tempo do nosso passeio. Regressamos e resolvemos parar num bar, para beber qualquer coisa fresca. Sentamo-nos, pedi uma bebida para mim e uma para ela e continuamos a nossa conversa, bastante animada, com alguns momentos de paragem em que aproveitava e quase devorava aquele corpo lindo em pensamentos e observando todos os contornos, curvas e saliências…
Em determinado momento, somos interrompidos por alguém que se aproxima e de imediato faz uma grande festa, lhe dá um beijo no rosto e lhe diz…amiga, há que tempos não te via, estás linda…
Era uma rapariga linda, personagem para mim de todo desconhecida, mas igualmente linda como a minha amiga.
Oiço-a perguntar à minha amiga….namorado novo?
A minha amiga nem tem tempo de responder quando ela se dirige a mim dizendo…Prazer em conhece-lo, espero que também dê muito prazer à minha amiga e ponha-se a pau, que eu adoro roubar-lhe os namorados.
Sorri, olhei para a minha amiga e quando me preparava para esclarecer que era apenas um amigo dela, nem consegui chegar ao fim da minha conversa.Ela interrompe-me, como não lhe interessando uma única palavra do que eu estava a dizer e diz-me: Ela tem umas maminhas tão linda e gostosas, adora quando eu lhe trinco os mamilos, não sabias?…ela não te contou?
Fiquei sem saber em que pensar….se ela estaria a brincar, ou se seria real o que ela estava a dizer, pois o ar cúmplice da minha amiga fazia-me pensar que era realmente verdade.
De repente um silencio caiu. A minha amiga quase que querendo fugir disse-me…Bem … vamos andando?
Eu respondi, sim, vamos continuar o nosso passeio.
A amiga dela responde, sim vamos, faço-vos companhia e depois convido-os a irem a minha casa, vamo-nos divertir….
Paguei a conta e lá fomos os 3 pela Avenida Tomás Cabreira, em direção ao carro. Pelo caminho perguntei à minha amiga se queria passar por casa da amiga ao que ela me respondeu…decide tu.
E decidi… que sim. Chagamos, paramos o carro e subimos ao 4 piso, ao apartamento da minha nova amiga. Entramos, ela disse-nos para nos sentarmos, perguntou-me se bebia um gin na companhia delas, ao que disse que sim.
Foram as duas para a cozinha e ela disse-me, fica à vontade, já voltamos
Recostei-me no sofá, enquanto as ouvia falar e rir… demoravam…e de repente se fez algum silêncio.
Levantei-me e caminhei em direção à cozinha. Não queria parecer estar a cuscar, por isso espreitei fazendo-me despercebido quando vejo que as duas se beijavam e se apalpavam, enquanto as bebidas já prontas estavam em cima da mesa. Pé ante pé, afastei-me de novo para o sofá como se não tivesse visto nada.
Dai a pouco as duas entravam de novo na sala, com um enorme sorriso nos lábios e vieram dar-me o copo de Gin. A minha amiga recostou-se ao meu lado, colocou o copo dela em cima da minha perna, enquanto as conversas iam ficando mais animadas e picantes.
De repente entre as conversas ela pergunta-me: Foi bom veres-me a beija-la? Gostas de ver? eu bem te tinha dito que ela tem umas maminhas lindas…queres vê-las?
Entre aqueles olhares e aquelas conversas, nem pensei e apenas respondi: Com as duas quero tudo…
A minha amiga poisou o copo no chão, virou-se para o lado e ambas se beijaram intensamente, enquanto a mão da minha amiga se passeava entre as minhas pernas, até que me abriu o feixe das calças.
Passados minutos ambas se levantaram e a minha amiga pegando-me na mão disse-me, anda….vamos para o quarto.
Fomos os 3, e à entrada fomos arrancando as roupas que tínhamos vestidas.
A minha amiga disse-me: Senta-te nessa cadeira e vê…primeiro. Assim fiz, sentei-me enquanto ambas se esfregavam e tocavam aqueles corpos maravilhosos, enquanto eu sentado, de pau teso, quase me babava, inquieto por lhe tocar também.
Com a tesão, masturbava-me enquanto as via se comerem, deliciosamente, quando a minha amiga me diz, anda….junta-te a nós.
Juntei-me e ambas se atiraram a mim de uma forma avassaladora, tal qual duas fêmeas com cio.
Acabamos a noite a foder e adormecemos os três, abraçados e exaustos naquela cama.