Asian

A Casa abandonada
Como a maior parte dos casos, eu dês criança que sentia algo pelo sexo masculino, e fantasiava muito com tal, a minha primeira experiência com um homem, andava eu a tirar a carta de condução, e num dia aconteceu a maravilha de encontrar um homem com uma idade entre 55 a 65 anos não mais.

Eu vinha a pé do trabalho para casa, eram 4 km a pé, então eu fazia corta matos etc. para fazer em 30 minutos. Fui numa sexta-feira que terminava o meu turno as 15h vinha eu para casa e não sei que me deu, que pelo caminho tinha uma casa abandonada, eu parava muitas vezes lá para ir mijar, parei lá mas não para mijar, comecei a bater uma, só que não me tinha dado conta que também estava lá um homem, sorte a minha estava a fazer o mesmo, então não em senti muito envergonhado, rapidamente meti a barba para dentro, e fiquei ali sem saber o que fazer, olhei para o homem e disse com ar de timidez (desculpe, não me apercebi que estava aqui gente.) o homem com um sorriso matreiro, respondeu que não era grave, que podia acabar o que tinha começado, eu disse que não, mas também não me vinha embora, não sei o que me estava a dar, era como se minhas pernas estivessem pregadas aquele chão velho, e o homem logo se apercebeu que eu estava, meio que bloqueado, se dirigiu perante mim e me disse, (queres ajuda para terminar?) eu nem respondi, vi que o homem com aquele caralho meio murcho, ò dependuro pelas calças a mostra, meteu a mão dele sobre as minhas calcas e apalpou o meu caralho, sentiu que estava bem duro, e começou apertar com forca, me sussurrando ao ouvido, que era o meu dia de sorte, meteu a mão por dentro das minhas calcas e começou a mexer no meu caralho, eu tava a ficar com um tesao que não sei explicar, uma vontade de explodir muito intensa, sem que eu teve-se controle de mim peguei naquele caralho, o mesmo tempo estava com receio, pois era um homem muito mais velho que eu, mas o impulso que eu sentia era mais forte, logo o homem se ajoelhou e começou a mamar o meu caralho.

Eu estava adorar, o que o homem estava a fazer, então ele parou e perguntou-me se eu já o tinha feito, eu respondi que não, e ele me disse que lhe iria fazer mas que me mostraria primeiro para eu saber depois como lhe chupar a ele, e segurou o meu caralho com as mãos começou a beijar e a passar com a ponta da língua na cabeça da minha piça e engolia a cabeça e sugava-la, eu sentia uma enorme sensação de prazer, dava alguns gemidos, eu comecei a me soltar mais e já lhe segurava a cabeça, acariciava os cabelos, ele sugava-me os tomates, engolia-os e voltava a chupar o meu caralho, eu já nem dava conta onde estava, não via nada só estava sentindo aquele momento, então o homem levanta-se, manda-me ajoelhar e me diz que sentiria um enorme prazer se eu fizesse igual a ele, eu logo executei a tarefa, mal peguei naquele caralho, já me agradou a sensação de ter aquele pedaço de carne quente na mão, não era a mesma coisa como quando eu pegava na minha piça, encostei os lábios e dei um beijinho, ela já estava toda húmida, senti um gosto estranho, e ele logo me disse, que não teve-se medo que seria mais fácil se mete-se logo a cabeça toda dentro da boca, que o resto viria sozinho, então eu fechei os olhos abri a boca e engoli aquela cabeca toda húmida e fechei a boca.

Fiquei ali parado com a cabecinha na boca, a minha boca parecia que se enchia de saliva, tirei e cuspi para o chão, ele disse que era a minha primeira vez, que já ele fazia o mesmo, mas que eu chupa-se como quem chupa um gelado, que engolisse, que iria gostar, então lá me decidi a chupar como ele me disse, eu estava com receio, fechei outra vez os olhos e comecei a chupar, mas daquela vez eu estava, a sentir um gosto a mijo, e um outro gosto que não estava a reconhecer, era o smel dele, um cheiro intenso a caralho velho no nariz, e lá engoli, não era assim tão mau, comecei a fazer movimentos com a língua como se de um corneto se trata-se, e comecei a abocanhar cada vez mais, de vai e vem com a boca, e engoli quase ate o fim só que era um caralho grande e quando eu tentava engolir como ele, me engasgava normal o meu caralho era mais pequeno do que o dele. Eu estava em transe, pois estava cada vez adorar mais e mais, mamar aquele caralho, e quando comecei a chupar os culhoes dele então ele soltou um gemido, que logo vi que eu tava a fazer um bom trabalho, voltei a mamar mais um pouco e o homem pegou ma piroca dele, sem me dizer nada e começou a se punhetar rápido e eu ia me levantar quando ele me volta a meter na boca, pois era para se vir dentro da minha boca, senti um jacto entrar pela garganta a baixo que não deu para evitar de engolir, e me disse que continua-se a mamar, eu lá o fiz mamei e sem que ele me disse-se engoli aquele esperma todo, não desperdicei uma só gota, depois ele disse que me ia chupar ate eu me vir na boca dele também que não queria que eu me sentisse inferior a ele, agarrou no meu caralho começou a chupa-lo e o mesmo tempo a punhetar-me ate que eu me vim, claro que eu me vinha mais rápido que ele, afinal eu era menos experiente que ele, mamou o meu caralho todo, levantou-se e deu-me um beijo na boca, eu agarrei-me a ele e beijei ele como se de uma mulher se trata-se, o que o excitou muito. Vestimo-nos e ele perguntou se eu tinha gostado. Eu respondi que sim, que tinha adorado, que tinha sido a primeira vez, e que tinha medo por ele ter uma certa idade a minha beira mas que tinha adorado muito. ele com um sorriso me perguntou se eu não queria no dia seguinte a noite ir a casa de um amigo dele, que ia haver uma noite de folia com eles se eu teve-se interessado em chupar o caralho deles, e que também seria chupado por eles. eu fiquei empolgado com a ideia, mas disse que tinha medo, o que ele logo me pôs a vontade, que saberiam que eu era a primeira vez que iriam com calma. eu aceitei e perguntei onde era, ele disse que me viria ali buscar as 21 h então despedimo-nos e fui para casa.
Confesso que não dormi essa noite não dormi nada, sentia uma ansiedade enorme.

No dia seguinte lá estava eu, sentado no mura da dita casa a espera do homem, e apercebo-me de um Mercedes chegar, que me deu sinal de luzes, parou o meu lado, vi que era o homem e que já trazia o amigo, um homem negro também de idade idêntica a dele, o seu amigo logo fui muito simpático para mim e me perguntou o nome eu respondi Fernando e me estendeu a sua mão e me disse (prazer! eu também sou Fernando) o outro logo me disse apesar de não nos termos dito o nome ontem eu sou Mário. E lá fomos nos para o nosso destino, chegando a casa do senhor Fernando, que era lá onde tudo se ia passar, entramos pela garagem, subimos pela cozinha e o senhor Fernando disse que fosse-mos para a sala, que ia preparar umas bebidas para estar-mos a vontade em quanto conversavamos, dei um sorriso e fiquei ali calado, a ouvir a conversa deles, estavam a falar de futebol, e eu como não dou importância a futebol, não me meti muito na conversa, fiquei ali a imaginar se o Fernando tinha um caralho grande como sempre ouvia dizer que os negros tinham caralhos enormes, era o que sempre me passava em mente. Então começamos todos a nos despir e eu fiquei ali a velos, e o Fernando veio ter comigo e disse que não teve-se medo e ajudou-me a me despir, eu ali no meio daqueles velhos complétamente nus eu com 18 anos e eles com mais 40 que eu, todos peludos e barrigudos, eu tinha a pele toda esticadinha e eles cheios de rugas, mas isso me excitava, então começarão a se apalpar, eu como estava mais a vontade com o senhor Mário incrustei-me a ele, estava a ser mamado pelos senhor Fernando então como estava fascinado pelo caralho do senhor Fernando que de facto era um belo caralho preto, deite-me no chão agarrei o caralho do Fernando e comecei a mamar, e logo ele deixou de mamar o Mário pegou em mim sentou-se no sofá e mandou-me ajoelhar a mamar-lhe, eu executei o que ele me disse que ele lá me ia dizendo o que fazer ou não fazer, estava adorar de mamar o caralho dele tinha um cheiro e gosto a mijo, mas logo fiquei com a ideia que eram todos assim, pois só sacudimos quando mijamos, então não me preocupei, de seguida Mário toca-me na cabeça com o caralho dele apontado na minha cara, eu virei-me para ele e comecei a mamar o caralho dele, e ainda estava a começar de apreciar e ficar excitado com aqueles caralhos ali para mamar, o Mário sentou-se o meu lado no chão e começou a acariciar as minhas costas em quanto eu mamava o Fernando, ele começou a meter a mão no meu cu, eu estava todo excitado a mamar aquele caralho negro que nem me estava aperceber que me estava a mexer no cuzinho, e lá ouvi o Mário a perguntar pela vaselina, e sem mais nem menos senti uma língua que me lambia o cu, eu deixei de mamar e olhei para ver o que se estava a passar, o Mário estava a lamber-me o cu, e aproveitou que eu tinha deixado de mamar, para me por de quatro no chão, dizendo que era melhor para me lamber o cu, eu estava adorar a sensação de me lamberem o cu, e o Fernando logo se ajoelhou a minha frente e me deu o caralho a mamar, estava a ser demais, eu a mamar um caralho preto e um homem a me lamber o cu.

Então lá estava eu com aquele caralho maravilhoso do Fernando, um caralho preto, eu que descobria o prazer da mamadela com o Mário, e agora estava a ficar obcecado por broches, que incrivel, sentir a língua do Mário no meu cuzinho, de vez em quando ele metia um dedinho e forcava a entrada, eu não reclamava, pois estava tão contente com o caralho na boca, de repente estava o Mário a lamber o meu cuzinho, mas a sensação era diferente, já não estava a lamber mas sim a meter vaselina com o dedo, acariciava o buraquinho e forcava lentamente, cada vez que eu abocanhava o caralho do Fernando sentia os pentelhos dele no meu nariz, só me preocupava em mamar, o Mário que brincava com o meu cuzinho e eu com o caralho grande que tinha o Fernando na boca, só eu mesmo é que tinha a impressão de ter um caralho pequeno, e lá senti eu um dedo que descobriu o meu cuzinho, Mário tinha metido um dedo no meu cuzinho devagarinho lá o tinha todo metido, e o retirar o dedo, reparou que eu estava com o cu cheio de fezes, então disse-me que eu deveria ter limpo o cu, que assim não dava, que eu fosse a casa de banho o lavar, eu respondi que tinha tomado um banho antes de vir, mas que poderia tomar outro, o Fernando fez um sorriso de matreiro e disse que me mostrava como lavar o cu.

Fomos os dois para a casa de banho e lá ele tirou o chuveiro e pegou só com a mangueira mandou-me sentar no WC e disse que ia abrir a agua e que eu metesse a mangueira no cu que enchesse um pouco e que retira-se, que o fizesse durante uns 5 minutos, que a agua saia por ela, para não me preocupar, que isso me lavaria o cuzinho, que eles fazem sempre andes de terem relações, que é mais higiénico, e eu lá me executei, confesso que adorei a sensação de sentir aquela agua morna entrar no meu cu e sair toda disparada como se eu tivesse um cu jacto, as fezes sairão todas fiquei com o cu lavadinho ate consegui meter o tubo da mangueira dentro do meu cuzinho, sensação agradável, então lá com o cu lavadinho, fui para a sala e lá estava o Fernando a minha espera, pegou-me na mão e levou-me para o quarto, já lá estava o Mári, o Fernando pegou numa cadeira sentou-se pegou no caralho e disse-me que o chupa-se, peguei numa almofada meti no chão, ajoelhei-me nela e agarrei aquele caralho gostoso com uma mão e comecei abocanhar, tentava engolir o máximo que conseguia, e com a outra mão, apalpava os mamilos do Fernando, eram gordinhos e grandes, disse que para uma primeira vez que eu me estava a sair bem safadinho, que era um autentico rapazinho dos prazeres, mamei por alguns 5 minutos então ele se levanta e me assentou a mim na cadeira, Fernando começou a chupar-me o caralho mete as suas mãos pelas minhas coxas e levanta-me as pernas, chupando-me ate os colhoes, as vezes engolia-me os culhoes todos e descia com a língua pela raia a baixo ate o cu e me lambia o cu, depois começou a meter o dedo, como já tinha vaselina o dedo entrou com facilidade, eu soltava um gemido então como sentia que eu estava adorar ele mete dois dedos, e lá me ia fodendo o cu com os dedos quando já metia três dedos com facilidade lá resolveu meter o caralho, começou primeiro por apontar a cabecinha e ruçar um pouco, depois lá ia forcando ate que eu senti uma dor Horrível pelo cu acima era a cabeça da piroca dele que entrou no meu buraquinho, e quando ele viu que a cabeça entrou enfiou o resto do caralho, lá eu dei um grito, pois me tinha doido muito.

Ele começou a foder-me lentamente e a medida que me fodia a dor ia passando, ate que já não sentia dor alguma, cada tocada que me dava, eu sentia como a impressão que me ia mijar todo, um prazer junto com o corpo dele que se juntava o meu, era como se fossemos um só, então o Mário me veio dar o caralhopara mamar, e lá estava eu, a ser fodido e o mesmo tempo a mamar um caralho, e lá me ião perguntando se estava a gostar, eu claro que nem precisava de responder, estava a gemer como uma putinha, mas lá eu respondia sempre que sim, que era muito bom, e o Mário quis trocar comigo, eu lá fiquei de pé a ver o Fernando foder o Mário e dei o meu caralho para ele chupar, lá ele começou a morder-me o caralho, lambia-lo com a língua e mamava como quem mamava num biberão, depois agarrei o Fernando e beijei-lhe na boca, um linguadinho bem bom, comecei apalpar o cu de Fernando, não dava muito jeito, pois os movimentos de vai e vem dele não facilitavam, mas aquelas bochechas bem redondinhas pretinhas e o movimento de estar a foder o Mário, me estava a excitar muito, em quanto lhe beijava na boca, passava a mão pelo cu e apertava aquelas bochechas boas, e dava-lhe algumas chapadinhas, o Fernando logo me disse que eu estava ficar bem safadinho, se eu queria levar outra vez no cuzinho, e lá eu disse que estava mas era com vontade de comer o cu dele, o que ele aceitou, parou logo de foder o Mário, trocou de posição com ele e levantou as pernas para eu ver aquele cu escurinho, juntamente com aqueles tomates bem peludinhos e de pelos já branquinhos, ajoelhei-me e comecei a mamar o caralho dele e a sugar os tomates, quanto isso ia brincando com o dedo no cu dele, eu tinha aprendido bem a lição, e agora era a vez do Fernando de estar ali a chupar o caralho do Mário em quanto eu me iria ocupar do cu dele.

Desci então e comecei a lamber-lhe o cu, ate que o sentia bem molhadinho, e claro adorava sentir a ponta da minha língua no olho do cu, então peguei-lhe nas pernas levantei-lhe um pouco o cu e comecei a encostar o caralho no cu, tive alguma dificuldade mas acabei por conseguir enfiar, Fernando deu logo um gemido, notei que estava a gostar, e comecei a enfiar mais um pouco retirava e voltava a meter ate que acabei por meter o caralho ate os colhoes, e comecei a foder com mais intensidade, tinha gostado de ter levado no cu, e agora estava adorar foder o cu dele, olhei para o Mário e disse-lhe que também queria comer o dele, ele com um sorriso atrevido, respondeu que eu tinha saído da casca, que era tão putinha como safado, que sim que queria que eu o fode-se também, e veio me beijar, em quanto eu fodia o Fernando e beijava o Mário já estava a imaginar como seria foder o Mário, antes que eu teve-se o orgasmo, trocaram eles e fiquei a foder o Mário e lá o Fernando me diz que me ia foder outra vez.

Fiquei no meio dos dois, senti logo as mãos dele que se agarraram as minhas ancas e logo senti o caralho dele a entrada do meu cu, e sem tempo de dizer ai, que já sentia o caralho do Fernando todo dentro de mim ate os colhoes, e então comecei a fazer o movimento, excepcional, que bela sensação estava eu a ter, um belo prazer, eu a sentir o meu caralho entrar todo no cu do Mário e quando retirava era o meu cu que engolia o caralho do Fernando, e comecei acelerar, ali era eu que controlava a situação, então tinha um enorme prazer, por controlar os movimentos de penetração, de repente o Fernando agarrou-me as ancas com forca e disse que era agora, e começou um a poder-me com muita forca, ate que senti um jacto muito quente no meu cu, ele nao me tinha avisado que me ia mijar dentro do cu, e mesmo a mijar ele não parava de me foder o cu, ate ali eu tinha adorado tudo o que eles me mostravam, mas aquilo passava todas as minhas expectativas, pois era demais o que me estava acontecer, era mijo por todo o lado, ate o Mário levou com mijo no corpo dele, então quando ele acabou de se mijar todo, parou e lá continuei eu a foder o Mário e a enterrar o caralho do Fernando no meu cu, ainda avia algumas gotas de mijo que saiam do meu cu, mas eu tava completamente doido por sexo, o Fernando entre tanto tirou o caralho dele do meu cu, veio se por o meu lado e me deu o caralho a chupar, disse que gostava de se vir na minha boca, para eu engolir tudo, eu então agarrei as ancas do Mário com mais forca, e abri a boca, ele lá me meteu o caralho, segurava com a mão para ele estar sempre de pé na minha frente, eu abocanhei do melhor que conseguia, ate que senti um jacto pela boca dentro, o homem era um touro, tanto leite, que ate me tinha engasgado, o esperma que descia pela minha garganta a baixo, lambi o caralho muito bem, estava bem lavadinho.

Retirei o meu caralho do cu do Mário e deitei-me na cama, o Mário disse que ainda tinha tesao, eu sorri e disse que também, então ele pegou-me pelas pernas arrebitou-me o cupara cima e fodeu-me ali, e disse que me ia foder ate se vir, eu logo disse que queria o leite dele também só não sabia a quem ia dar o meu leite depois, e lá me fui fodendo, só que antes que ele se vie-se no meu cu, eu ejaculei sem se quer ter controlo da situação, espurrei a minha barriga toda entao logo depois o Mário retirou o caralho dele e veio mo meter na boca, agarrei-me a ele e engoli aquele caralho todo dentro da boca, ate ele se vir, e senti então o esperma que entrava dentro da minha boca, também tinha muito esperma o Mário acho que os dois enchiam quase um copo dos pequenos, então lá se inclinaram os dois a me lamber a barriga toda, e lá eu disse que queria ir a casa de banho mijar, lá fui eu mijar, quando regressei estavam os dois sentados a conversar, sentei-me o lado deles, e ficamos ali a falar um pouco, então fomos tomar banho, em quanto o Fernando tomava banho o Mário aproveitou para me mamar o caralho então estava eu sentado no WC a ser mamado em quanto eu olhava todo excitado o Fernando se lavar, logo fui a mim de ir tomar banho e ficaram ali os dois a olhar para mim, eu estava a achar piada que demorei mais tempo no banho, depois fui o Mário de se lavar, o Fernando sem me dizer nada me agarrou e me beijou então começámos ali os apalpanços os beijos, e quando o Mário acabou o banho, fomos todos para a sala comer qualquer coisa, como já era tarde telefonei para casa, para avisar que chegava tarde, só que Fernando me disse que poderia dormir lá, então avisei que dormia em casa de um amigo que só ia para casa de manhã que o pai dele me levava antes do meio-dia, ficamos ali umas horitas, entre tanto o Mário fui para casa dele, o Fernando me perguntou se eu queria dormir no quarto de hospedes ou com ele, eu quis dormir com ele.

Tivemos uma noite intensa, mas fica para contar noutra historia, de manhã fizemos um 69 para a despedida eu vim-me na boca dele e depois ele na minha, beijamo-nos e ele fui-me levar a casa, quando me deixou a porta de casa, me deu o nr telefone dele, ficamos de nos ver mais vezes, o Fernando e eu tivemos um caso por algum tempo, ate eu ter que me mudar por motivos profissionais dês de lá só tive com ele mais 2 vezes ate agora.